OFENSIVA IMPERIALISTA E POLÍTICAS PÚBLICAS ANTICORRUPÇÃO NO BRASIL

  • Luís Eduardo Fernandes Instituto Federal de São Paulo (IFSP)

Resumo

A atual crise brasileira, aberta em 2013, tendo como desfecho provisório a ascensão de uma nova coalização de direita ao poder, fez emergir inúmeros debates acadêmicos e políticos que perpassam pela questão do “combate à corrupção”. A Operação Lava Jato, o desmantelamento da Petrobrás e das transnacionais brasileiras, em especial no ramo da construção civil, o impeachment da presidente eleita Dilma Roussef, a prisão de Luiz Inácio Lula da Silva e o seu impedimento para concorrer às eleições presidenciais, o governo Temer e os novos rearranjos institucionais e econômicos promovidos pelo governo Bolsonaro colocam a chamada “agenda anticorrupção” como uma das principais pautas do país. O presente artigo tem como objetivo apresentar o resultado inicial da pesquisa e reflexões sobre o tema, em especial sobre a relação das políticas públicas anticorrupção e os interesses dos EUA no Brasil.

Publicado
Out 16, 2019
##submission.howToCite##
FERNANDES, Luís Eduardo. OFENSIVA IMPERIALISTA E POLÍTICAS PÚBLICAS ANTICORRUPÇÃO NO BRASIL. Entropia, [S.l.], v. 3, n. 6, p. 180/199, out. 2019. ISSN 2526-2793. Disponível em: <http://entropia.slg.br/index.php/entropia/article/view/141>. Acesso em: 07 dez. 2019.