MEMÓRIA, HISTÓRIA E MANIPULAÇÃO MIDIÁTICA

  • Cicero Anderson de Almeida Bezerra Universidade Regional do Cariri (URCA)

Resumo

A memória é fruto de um processo de construção social, e tem sido objeto de disputa ao longo do tempo, sendo utilizada como um instrumento de poder por parte de determinados grupos, que se apropriam de narrativas e discursos e recriam versões históricas, na constante tentativa de imposição das suas visões de mundo. Ela é sempre uma representação simbólica, carregada de aspectos temporais e percepções individuais e/ou coletivas, cujas nuances se explicitam através da oralidade ou da escrita, de modo que cada sociedade, em seu respectivo momento, se utiliza das tecnologias disponíveis em sua época para compartilhar essas memórias. No século XXI, com o advento da internet, as mídias sociais passaram a utilizar e a imagem cada vez com mais interesses. Na frenética disputa por mentes e corações, a mídia tem demonstrado o seu grande poder de influenciar nas memórias sobre os acontecimentos históricos, na elaboração/reelaboração, construção/desconstrução de processos sociais, políticos e culturais em cada país, impactando e determinando comportamentos, discursos e posturas em escala global e interferindo nas decisões do cotidiano, desde as mais simples, até as mais importantes, como nas eleições para a escolha dos chefes de Estado, por exemplo.

Publicado
Set 30, 2020
##submission.howToCite##
BEZERRA, Cicero Anderson de Almeida. MEMÓRIA, HISTÓRIA E MANIPULAÇÃO MIDIÁTICA. Entropia, [S.l.], v. 4, n. 8, p. 182-196, set. 2020. ISSN 2526-2793. Disponível em: <http://entropia.slg.br/index.php/entropia/article/view/183>. Acesso em: 30 out. 2020.