O DESASTRE TECNOLÓGICO, A INSTITUCIONALIZAÇÃO DA REPARAÇÃO E OS ATORES EM CONFLITOS

  • Aloisio Ruscheinsky UNISINOS

Resumo

As ciências sociais se interessam por desastres tecnológicos na medida em que expressam ações e perspectivas de diferentes atores do cenário, demandas e reações coletivas colocando em evidência práticas sociais e mecanismos de in- tervenção do Estado. O texto objetiva abordar os conflitos políticos no processo de reparação, enfatizando o campo institucional de enfrentamento dos impac- tos aos atingidos pelos rejeitos de mineradora. Do ponto de vista metodológico, a principal fonte da análise é o desenho do acordo entre partes e os relatórios apresentados pela Fundação Renova, no processo de políticas mitigadoras para o cumprimento do acordo. No campo do desastre tecnológico do Rio Doce parece existir um confronto entre o que poderíamos chamar de vozes que brotam junto aos atores sociais e o intuito de produzir respostas para múltiplas demandas por uma burocracia. Enfim, o desastre é um fenômeno que exacerba a desestabiliza- ção das bases existenciais materiais e simbólicas, diante de cujo fenômeno estão chamados ao cenário tanto a burocracia estatal, atingidos e a empresa causadora.

Publicado
Mar 24, 2021
##submission.howToCite##
RUSCHEINSKY, Aloisio. O DESASTRE TECNOLÓGICO, A INSTITUCIONALIZAÇÃO DA REPARAÇÃO E OS ATORES EM CONFLITOS. Entropia, [S.l.], v. 5, n. 9, p. 34-55, mar. 2021. ISSN 2526-2793. Disponível em: <http://entropia.slg.br/index.php/entropia/article/view/199>. Acesso em: 18 jun. 2021.