A CIDADE DA MINORIA

  • Eduardo José Silva Lima Universidade Estadual do Tocantins
  • Laís Pereira Santos Universidade Estadual do Tocantins

Resumo

Palmas, capital do estado do Tocantins, é a última cidade brasileira construída com base em um projeto de planificação. O início de sua construção data de Maio de 1990, portanto após a Constituição de 1988 que garante o direito à moradia. Apesar desses fatores, planejamento e direito à moradia constitucionalizado, Palmas conta com um déficit habitacional significativo ao longo da sua História. Mesmo seguindo o modelo de cidades já planejadas, Palmas é composta por diversos e grandes vazios urbanos, e mesmo assim há diversas pessoas com problemas relacionados à moradia, entende-se que não houve a instalação inicial do planejamento da capital que previa uma boa qualidade de vida para todos os moradores. O presente trabalho tem por objetivo central discutir como ocorreram as mobilizações de ocupações urbanas da cidade, através de aspectos históricos e sociais, diante dos problemas habitacionais. Temos como objetivo nesse trabalho de desnaturalizar discursos que avaliam déficit habitacional a questões de ordem individual, assim, analisamos movimentos de luta pela moradia e suas estratégias de resistência a um planejamento urbano excludente sendo as ocupações urbanas um exemplo pragmático.

Publicado
Mar 24, 2021
##submission.howToCite##
LIMA, Eduardo José Silva; SANTOS, Laís Pereira. A CIDADE DA MINORIA. Entropia, [S.l.], v. 5, n. 9, p. 93-108, mar. 2021. ISSN 2526-2793. Disponível em: <http://entropia.slg.br/index.php/entropia/article/view/202>. Acesso em: 13 abr. 2021.