A luta pela terra no Maranhão contemporâneo: A “Lei Sarney de Terras” e a resistência camponesa

  • Roberval Amaral Neto Instituto Federal do Maranhão (IFMA)

Resumo

Em 17 de junho de 1969, o então governador do Maranhão José Sarney aprovou na Assembleia Legislativa do Maranhão a Lei Nº 2.979, conhecida como “Lei Sarney de Terras”. A justificativa para a sua aprovação era a modernização do estado, que vivia o mito político do Maranhão Novo. Assim, as terras devolutas do estado, ocupadas há séculos por posseiros e povos tradicionais, foram mapeadas e postas à venda pelo governo, visando tanto permitir o avanço dos capitalistas quanto desmobilizar os movimentos sociais. Isso provocou a invasão de terras camponesas, assassinatos de posseiros e pistoleiros, a insurgência de organizações sociais e sindicais, prisão de lideranças populares e forte repressão do governo. Os camponeses resistiram de várias maneiras...! Nessa arena, dois maranhenses lideram projetos opostos: José Sarney e Manuel da Conceição.

Publicado
Mar 24, 2021
##submission.howToCite##
NETO, Roberval Amaral. A luta pela terra no Maranhão contemporâneo: A “Lei Sarney de Terras” e a resistência camponesa. Entropia, [S.l.], v. 5, n. 9, p. 147-164, mar. 2021. ISSN 2526-2793. Disponível em: <http://entropia.slg.br/index.php/entropia/article/view/205>. Acesso em: 13 abr. 2021.