AÇÃO COLETIVA E CONFRONTO POLÍTICO: UMA LEITURA DAS MANIFESTAÇÕES DE JUNHO DE 2013 NO BRASIL

  • Gustavo Paccelli Mestre em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Juiz de Fora

Resumo

Junho de 2013 foi um mês extraordinário na sociedade brasileira. A mobilização em massa tomou conta das ruas das principais cidades do país estendendo-se, no decorrer dos dias, aos centros médios e periféricos. As questões pautadas pelos manifestantes demonstraram-se como fontes de consenso e divergência na condução do conflito político. Concomitantemente, a prospecção de que o país vivia numa inércia social foi contradita por uma maneira relativamente nova de ação coletiva respaldada e incentivada, principalmente, pela gramática da internet. Através dos blogs, redes sociais e mídias alternativas, os manifestantes propagaram suas indignações e reuniram forças para o confronto político questionando o poder instituído nas trincheiras da política e nos discursos propagados pela grande mídia. Por intermédio deste panorama, o presente artigo procura oferecer uma interpretação possível sobre as manifestações de Junho de 2013 que contemple três principais eixos: as características sobre o ativismo social na contemporaneidade; a ação coletiva de confronto e suas repercussões; e as consequências de Junho para sociedade brasileira.

Publicado
Jan 14, 2017
##submission.howToCite##
PACCELLI, Gustavo. AÇÃO COLETIVA E CONFRONTO POLÍTICO: UMA LEITURA DAS MANIFESTAÇÕES DE JUNHO DE 2013 NO BRASIL. Entropia, [S.l.], v. 1, n. 01, p. 34/56, jan. 2017. ISSN 2526-2793. Disponível em: <http://entropia.slg.br/index.php/entropia/article/view/30>. Acesso em: 20 set. 2017.