PREVIDÊNCIA SOCIAL E A LUTA DOS TRABALHADORES RURAIS: UM DESTAQUE PARA A PARTICIPAÇÃO E AS CONQUISTAS DAS MULHERES

  • Adália Raissa Alves da Costa Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Política Social – Universidade de Brasília
  • Matheus Almeida Pereira Ribeiro Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Sociologia – Universidade de Brasília

Resumo

Este artigo discute o tema da conquista de direitos previdenciários pelas trabalhadoras rurais brasileiras e as tendências contemporâneas de caráter regressivo, no que diz respeito a esses direitos, em um cenário de crise do capital. Neste sentido, a investigação aqui tratada buscou desvelar historicamente o processo de consolidação de direitos previdenciários às mulheres do campo, associando-o com as mobilizações políticas destas, no interior da sociedade civil, que permitiram tal realização. Com base nisto, partindo de uma orientação teórico-metodológica marxiana, focada na apreensão da totalidade na qual se inserem os processos histórico-sociais em análise, discute-se a relação entre a divisão sexual do trabalho e o acesso à previdência social no país; o papel do Estatuto da Terra de 1963 e da Constituição Federal de 1988 no assentamento de direitos às mulheres do campo; e a relação entre a emergência de tais legislações e a organização política das trabalhadoras rurais. O trabalho reafirma a importância histórica das mobilizações das trabalhadoras rurais para a conquista de direitos como a previdência social e dá tônica à necessidade de expansão de estudos que interseccionem previdência, gênero e trabalho rural no campo de estudos sobre Política Social.

Publicado
Jun 19, 2018
##submission.howToCite##
ALVES DA COSTA, Adália Raissa; RIBEIRO, Matheus Almeida Pereira. PREVIDÊNCIA SOCIAL E A LUTA DOS TRABALHADORES RURAIS: UM DESTAQUE PARA A PARTICIPAÇÃO E AS CONQUISTAS DAS MULHERES. Entropia, [S.l.], v. 2, n. 3, p. 136-149, jun. 2018. ISSN 2526-2793. Disponível em: <http://entropia.slg.br/index.php/entropia/article/view/78>. Acesso em: 15 nov. 2018.