FEMINISMO PRA QUÊ? – PROJETO DE INTERVENÇÃO FEMINISTA COM AS JOVENS ESTUDANTES

  • Ana Carla Tavares Franco

Resumo

A adolescência e a juventude configuram fases importantes na formação da personalidade das mulheres, momentos que são envoltos de muitas dúvidas sobre a sexualidade, reprodução, aceitação do seu corpo, afetividade, lazer, seu papel social e definição de seu futuro. Neste contexto, verificamos no cotidiano e muitas vezes estampados nos jornais, problemas nas relações entre as jovens estudantes que se envolvem em conflitos por disputas nas escolas, demarcando a aceitação em seu meio social através de padrões de beleza, liderança de seus grupos e de disputa de parceiros, que chegam à agressão física. Além disto, as dificuldades relacionadas ao preconceito, discriminação, violência de gênero e assédio dos colegas e por vezes professores, permeiam a convivência dessas jovens no ambiente escolar.


 


Debater questões de gênero, feminismo, o que significa, para que serve, as conquistas do movimento feminista, formas de atuação e suas interseccionalidades vem a ser a ferramenta para enfrentar estes anseios e dificuldades que a juventude feminina vivencia. O projeto de intervenção feminista “Feminismo pra quê?” em parceria com os(as) professores(as) da disciplina de sociologia no ensino médio da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Prof. Ramiro Olavo de Castro, localizada no bairro da Guanabara, município de Ananindeua-Pará, periferia da região metropolitana de Belém, objetiva realizar rodas de conversa sobre a temática, troca de experiências, exposição de documentários e por fim construção de um relatório expondo a visão das jovens sobre o feminismo antes e depois das atividades realizadas, como interferiu no modo de pensar e de viver esses enfrentamentos.


 

Publicado
Nov 6, 2018
##submission.howToCite##
FRANCO, Ana Carla Tavares. FEMINISMO PRA QUÊ? – PROJETO DE INTERVENÇÃO FEMINISTA COM AS JOVENS ESTUDANTES. Entropia, [S.l.], v. 2, n. 4, p. 42-56, nov. 2018. ISSN 2526-2793. Disponível em: <http://entropia.slg.br/index.php/entropia/article/view/91>. Acesso em: 18 dez. 2018.